Pages - Menu

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A Jornada do Escritor


Título original: The Writer's Journey
Autor: Christopher Vogler


Talvez uma das obras mais importantes já feitas sobre estrutura literária, "A Jornada do Escritor" explica os passos essenciais para que escritores ou roteiristas - leigos ou veteranos - possam escrever histórias com maestria, cuja mensagem se identifique com a alma de seu público. Para isto, Vogler baseia-se no legado grandioso do mitólogo Joseph Campbell, principalmente no livro "O herói de mil faces", bem como nas obras de psicologia de Carl G. Jung sobre arquétipos e inconsciente coletivo.

O livro "O herói de mil faces" de Joseph Campbell é uma maravilhosa viagem ao mundo dos contos de heróis de todas as eras, culturas e religiões, mostrando as inacreditáveis semelhanças entre eles. Com isso, Campbell conseguiu traçar alguns padrões nas histórias dos heróis antigos e identificou estes mesmos padrões na história de vida de todo ser humano, de todas as culturas. A estes padrões ele chamou de "Jornada do Herói". Christopher Vogler explora esta "Jornada" e as traduz para uma linguagem atual, fácil e divertida, contrastando com a linguagem de Campbell, que é mais densa e talvez canse alguns.

Além desta base mitológica, Vogler evoca conceitos da psicologia analítica de Carl G. Jung acerca de arquétipos e incosciente coletivo. Arquétipos podem ser definidos por "padrões de personalidade que são uma herança compartilhada por toda a raça humana". Em outras palavras, são tipos de personalidades comuns nos contos mitológicos antigos, como o Herói, Vilão, Arauto, Mentor, etc. Cada um possui uma função decisiva na história, fundamental para gerar conflitos e reviravoltas. O incosciente coletivo se entende como o lugar na mente humana de onde brotam esses arquétipos, que, segundo o autor, "são impressionantemente constantes através dos tempos e das mais variadas culturas, nos sonhos e nas personalidades dos indivíduos, assim como na imaginação mítica do mundo inteiro".

Como o título sugere, o livro parece ser voltado totalmente para escritores, tanto profissionais como aspirantes. De fato, para quem sonha em escrever livros ou roteiros, a leitura desta obra é obrigatória. Vogler não ensina uma técnica, mas mostra como as etapas da Jornada do Herói podem ser perfeitamente utilizadas para se construir e amarrar bem uma história. Utilizando-se de exemplos variados do cinema e literatura, ele esclarece que estes estágios não são fórmulas ou clichês, mas sim ferramentas que devem ser manipuladas e estruturadas - ou até desconstruídas - com muita criatividade. O fator determinante para uma boa história está justamente na inovação com que se brinca com estes arquétipos e estágios.

Porém, o livro não serve somente para escritores. Estudar a Jornada do Herói na linguagem direta e atual de Vogler é uma viagem maravilhosa para qualquer um que ama viver a vida intensamente. É muito interessante identificar os tipos de personalidade que nos cercam e as etapas pelas quais passamos no nosso dia a dia e saber que estes elementos estão presentes em filmes, romances, contos e na vida real.

Para conhecer em detalhes quais são os arquétipos e as etapas da Jornada, leia o artigo  "A Jornada do Herói".
Aconselho ler também a apostila do Eduardo Sphor sobre estrutura literária, baseado neste livro:

http://filosofianerd.com.br/pdf/estrutura_literaria_apostila.pdf

--

E você, o que acha sobre isso? Acredita no inconsciente coletivo? Acredita que todos os heróis passam por etapas semelhantes? Você acha que a Jornada do Herói pode se tornar um clichê no cinema ou literatura?
Deixe seus comentários abaixo!

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...