Pages - Menu

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A Jornada do Herói

Com o intuito de melhor organizar as idéias acerca da Jornada do Herói, editei o post "A Jornada do Escritor" dividindo-o em dois, sendo que o original conterá apenas a resenha do livro e neste novo coloquei um resumo acerca dos arquétipos (padrões de personalidades) e das etapas da Jornada do Herói abordadas no livro.

Joseph Campbell definiu o  conceito de "Jornada do Herói"
Joseph Campbell definiu o
conceito de "Jornada do Herói"
Para situar os que nunca ouviram falar destes termos, arquétipos são padrões de personalidade descobertos pelo psicólogo Carl G. Jung e a Jornada do Herói é uma espécie de modelo de jornada encontrada nas histórias mitológicas de todas as culturas antigas e que se transformou num guia formidável para escritores e roteiristas da atualidade estruturarem suas narrativas.


Para entender melhor sobre estes assuntos, aconselho a ler os posts sobre os livros que são a fonte deste resumo:
"O Herói de Mil Faces", de Joseph Campbell;
"A Jornada do Escritor", de Christopher Vogler;

Arquétipos

Herói: é aquele que se sacrifica por um bem coletivo. É com ele que o espectador se identifica. Podem haver vários tipos de heróis com interesses distintos, como por exemplo o Anti-Herói, que se sacrifica não por bondade, mas por motivações próprias.

Mentor: é uma figura mais experiente que motiva e fornece dons ou ferramentas para o Herói durante sua Jornada.

Guardião de Limiar: Personagem ou situações que impedem a entrada do Herói na Jornada. Guardam o limite entre o cotidiano do Herói e sua aventura.

Arauto: este personagem anuncia para o Herói o chamado à aventura. Pode ser o Mentor, o Vilão ou  simplesmente um objeto como, por exemplo, uma carta.

Camaleão: é o personagem com personalidade dúbia, ou seja, nunca se sabe ao certo se ele está do lado do bem ou do mal. Por exemplo, o aliado que se revela inimigo no final ou o inimigo que salva o Herói em algum momento, revelando-se um aliado.

Sombra: Normalmente é o Vilão da história e deseja a destruição do Herói. É a personificação dos monstros internos de medos e traumas do subconsciente.

Pícaro: este personagem surge como um alívio cômico para equilibrar a seriedade da história. Serve também para derrubar o status quo do Herói e quebrar seu orgulho.


Estágios da Jornada do Herói


Estágio Um: Mundo Comum
    Cotidiano do Herói, sua zona de conforto.

Estágio Dois: Chamado à Aventura 

    Herói recebe um chamado a uma aventura inesperada.

Estágio Três: Recusa do Chamado

    Herói normalmente recusa ao chamado pois prefere ficar em sua zona de conforto.

Estágio Quatro: Encontro com o Mentor 

    Herói encontra um Mentor que o motiva e fornece dons para a aventura.

Estágio Cinco: Travessia do Primeiro Limiar 

    Herói enfrenta os guardiões entre seu mundo comum e o mundo da aventura.

Estágio Seis: Testes, Aliados, Inimigos

    Herói conhece o mundo especial, suas regras, amigos, inimigos e enfrenta diversos testes.

Estágio Sete: Aproximação da Caverna Oculta 
    Neste momento o herói se aproxima da grande provação

Estágio Oito: Provação 

    Na grande provação o herói chega no limite entre a vida e a morte na luta contra o Vilão, mas é salvo milagrosamente.

Estágio Nove: Recompensa (Apanhando a Espada)

    Por vencer a provação, Herói conquista uma recompensa.

Estágio Dez: Caminho de Volta

    Voltando para casa o herói se depara com uma ameaça muito maior. Aqui ele morre.

Estágio Onze: Ressurreição
    Como recompensa pelo seu sacrifício, o herói ressucita dos mortos e vence a grande ameaça final, tornando-se um ser superior.

Estágio Doze: Retorno com o Elixir
    O herói então volta para casa (mundo comum) ou fica no mundo especial, porém agora como uma nova pessoa, com novos conceitos e totalmente diferente do que era no início.

--

5 comentários:

  1. Cara, gostaria de entrar em contato com você para, quem sabe, fazer algumas parcerias em projetos.
    peço que avalie meu blog: www.transformai-vos.org

    ResponderExcluir
  2. Eu não gosto do arquetipo heroi, nunca me identifiquei. Por isso nunca tive habilidade social, sempre fui solitário, medroso e odiado. Eu tenho repudio pelo arquetipo heroi pois na minha visão o heroi representa o bulier, o alfa, o valentão, o popular tudo que as mulheres mais amam, mas tudo que Eu mais ODEIO. Eu sempre fui o maior inimigo de todo tipo cara popular. Eu prefiro me tornar um demonio, cheio de escuridão e crueldade dentro de mim, mas nunca serei um heroi. Ser heroi me daria muito medo, eu reprimo isso. Prefiro ser o que sempre fui – ovelha negra, aquele que é odiado por todos, me identifico por isso, com o Deus egípsio SETH, que originou o Diabo cristão, vejo nele a misantropia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amigo,
      eu acho complicado a aplicação nua e crua desses conceitos na nossa vida. Não sou psicólogo, mas temos que tomar cuidado com certas aplicações.

      Acredito que todos os arquétipos estão presentes na nossa personalidade e se manifestam em momentos diversos. Você pode ser vilão para alguém - ou para algum grupo -, ao mesmo tempo em que pode ser herói para outra pessoa, mentor para outra, pícaro para outra, etc... Esse mapeamento é subjetivo e perigoso, visto que pode-se cair num rotulamento que nem sempre corresponde à verdade.

      Sobre a identificação com o Diabo, tem que se ter em mente sua significação e seu fim, que é a auto-destruição. O Cristianismo, não como religião mas como construção histórico-filosófica, é o melhor caminho para a estabilidade emocional e metafísica do homem.

      Abraço

      Excluir
  3. Belo trabalho! Porém, seria bom esclarecer que o conceito original da AVENTURA DO HEROI desenvolvido pelo professor Campbell não é essa forma moderna de Jornada do Heroi que conhecemos hoje (e que possui 12 passos). Deixarei aqui um link de um video que esclarece a diferença entre o conceito original e a forma moderna. Segue o link: https://youtu.be/y2bZbogeHZI

    ResponderExcluir

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...